top of page
Início: Bem-vindo

Meus textos

A arte de Ouvir


A psicanálise é, ao mesmo tempo, uma prática e uma teoria. Em contraste com outras abordagens psicológicas, ela se construiu em sua própria clínica – nasceu de si mesma, formulando-se a partir dos casos que atendia.

Quando alguém vem à análise é porque tropeçou na pedra, em algo que apareceu no seu caminho, o que nos confirma a distância da psicanálise com as questões da saúde, do mental e da possível harmonia que isso possa alcançar.

A psicanálise nasce na palavra, todos nós precisamos conversar sobre nós mesmos. Mas nem sempre temos com quem. Então, seja por timidez, falta de intimidade, de coragem…acabamos ‘engolindo’ dores e angústias que desejaríamos pôr para fora. E elas se acumulam como poeira embaixo do tapete e ‘engasgamos’. Mas ninguém pode ficar engasgado para sempre. Um dia precisaremos soltar o que está preso na garganta. E é aí que entra a psicanalista.

Uma análise funciona segundo um princípio bem simples: pede-se à pessoa que fale o que lhe vem à cabeça, com o mínimo de julgamento possível. Essa é a chamada associação livre, método desenvolvido por Sigmund Freud, em que o paciente fala o que vem a mente nem o verdadeiro nem o real.

A psicanálise trabalha por meio deste veículo: a linguagem íntima de cada sujeito. Linguagem de seus traumas, angústias, medos, inseguranças… E também a de seus sonhos e desejos. Na linguagem estão contidos o inferno e o paraíso, a angústia e o desejo…Por meio dela nos devastamos, e por meio dela também nos curamos.

A vida em si nos cobra soluções o tempo todo em relação a maneira como nos portamos diante as situações, infelizmente nos dias de hoje temos que seguir e sermos alguém que muitas vezes não queremos ser, isso nos obriga a reprimirmos ainda mais certas vontades e faces que não queremos mostrar, a analise nos ajuda como um processo de autoconhecimento.

Para um bom funcionamento de uma análise, o psicanalista deve primeiro manter-se em analise, para então assim antes de analisar um outro, ele possa ter ciência de sua própria história , seus desejos, problemas e etc, quanto mais analisado o analista for, menos processos de contra transferência irão acontecer. Para uma boa formação de um psicanalista também deverá passar pelo tripé : teoria, analise, monografia. Lembrando que a formação do analista nunca é universal, não existe uma formula que vale pra todos, cada analista irá buscar sua forma onde seu desejo se encontra, com base naquilo que ele acredita e que faz sentido para ele mesmo.

E quando devemos buscar uma analise?

· problemas em se relacionar no ambiente de trabalho ou familiar

· sensação de vazio ou inadequação

· dificuldade em expressar suas emoções

· sentimento frequente de ressentimento ou mágoa

· preocupações obsessivas

· medos que a princípio possam ser injustificados

Vale lembrar que um tratamento psicanalítico não é somente destinado para tratar algum distúrbio, podendo ser uma boa ferramenta para quem deseja se conhecer melhor e descobrir novas perspectivas.

Lembrando que todos que buscam a ajuda de um psicanalista o fazem para se conhecer melhor. Assim sendo, o resultado esperado é que consigam uma melhora considerável em suas vidas e relacionamentos. Nesse contexto, destaca-se principalmente o relacionamento consigo mesmo.

A procura por um profissional que ajude indica que a pessoa não consegue esses resultados sozinha. No entanto, para que o psicanalista consiga ajudar, é necessária a cooperação do paciente. É neste contexto que o trabalho em conjunto é crucial. No caso do médico, o ato de clinicar segue uma vertente completamente diferente.

Já o psicanalista, formado em psicanálise, usa um método de análise criado por Sigmund Freud. Por essa razão, seu trabalho basicamente ira sempre constituir na interpretação de palavras, ações e produções imaginarias de uma pessoa.

Ao analista cabe ajudar a desatar os nós emocionais. Além disso, é necessário reconhecer quais são os gatilhos mentais que provocam a “ crise” e com isto estabilizar o paciente. Assim sendo, auxiliará o indivíduo fazendo com que conheça seus pontos a melhoras e ajude a reconhecer e reforçar seus pontos fortes.

O ser psicanalista nunca para de aprender, pois a psicanalise é um campo do saber, aberto sempre a novas verdades, por conta disso esta área se torna uma das viagens mais fascinantes em busca de nós mesmos.

Desde Freud até hoje, a psicanálise segue se reinventando: a cada novo paciente, precisa ser revista, reformulada – reescrita. Pois as pessoas guardam dentro de si uma riqueza muito grande de detalhes. São todas, de uma forma bela, completamente diferentes umas das outras.




(Sobre a teoria Psicanálitica)

Uma otima terca-feira para todos nós.

#lifebysheila

21 visualizações0 comentário